Por que poupar é tão difícil?

O ser humano prefere um pequeno benefício presente a um conquista futura. Esse é o grande dilema que impede as pessoas de poupar e é o mote do Seminário Como Investir em Você, que acontece nesta quinta, na Bienal de São Paulo, em paralelo com o 9º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento.

• • •

Projeto de mercado integrado de capitais na América Latina avança

Seis países da América Latina – Argentina, Chile, Colômbia, Peru e México, além do Brasil – deverão fazer parte, nos próximos anos, do mercado integrado de capitais. O projeto, que está sendo desenvolvido pela Brain (Brasil Investimentos e Negócios) – iniciativa que reúne as instituições e dos mercados financeiro e de capitais, da qual a Anbima faz parte – e que conta com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) -, prevê a criação de um passaporte regional de fundos.

• • •

Fundos estruturados são alternativa de financiamento para o setor imobiliário

A necessidade de estimular fontes alternativas para o financiamento do setor imobiliário não é um tema novo, mas o debate ganha relevância por conta do impacto da crise econômica na captação de recursos destinados ao setor. A caderneta de poupança vem perdendo recursos ano a ano e o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) também vê reduzida sua capacidade de atender à demanda. Possíveis alternativas são os fundos estruturados, como debatido no  primeiro dia do 9º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimentos, nesta quarta-feira.

• • •

Regulações sobre lavagem de dinheiro e financiamento ao terrorismo sofrerão mudanças

Questões relacionadas à lavagem de dinheiro e ao financiamento ao terrorismo se deparam, atualmente, com um novo cenário: tanto o Banco Central como a CVM estão revendo suas regras sobre os temas. O alerta foi feito por Ricardo Döllinger, membro do nosso Comitê de Ética e chefe de operações para a América Latina na área de Compliance do BNP Paribas, durante o 9º Congresso de Fundos de Investimento da ANBIMA, que acontece nesta quarta e quinta em São Paulo.

• • •

Gestor do primeiro ETF de renda fixa será escolhido no segundo semestre

O edital para o processo seletivo que escolherá o gestor do primeiro ETF (Exchange Traded Fund) de renda fixa do Brasil deve ser publicado no segundo semestre, e a expectativa é de que até o fim deste ano o gestor esteja selecionado. A previsão é de Leandro Secunho, coordenador-geral de operações de dívida pública do Tesouro Nacional, que falou sobre o processo durante o 9º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento, que acontece hoje e amanhã em São Paulo.

• • •

Adoção de critérios ASG passa por educação do investidor e transparência

A maior disseminação do uso de critérios ambiental, social e de governança (ASG) no processo de avaliação de investimento depende, principalmente, de dois fatores: educação do investidor e divulgação de informações por parte das empresas. O tema norteou os debates sobre cases de sustentabilidade que aconteceu na tarde desta quarta-feira no 9º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento, em São Paulo.

• • •

Insegurança jurídica inibe indústria de fundos

O desenvolvimento da indústria de fundos depende não só de aspectos econômicos, como do patamar de juros, inflação e crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), mas também está relacionado ao arcabouço jurídico e à jurisprudência referente a litígios entre investidores e prestadores de serviços. Num cenário de maior diversificação de investimentos, em que os aplicadores demandem produtos mais complexos, essa questão pode ganhar importância.

• • •

Pesquisa revela os cinco comportamentos mais comuns das pessoas na relação com dinheiro

Despreocupado. Camaleão. Construtor. Sonhador. Planejador. Esses são os cinco perfis identificados em pesquisa conduzida pela ANBIMA e pela consultoria Na Rua sobre a relação das pessoas com dinheiro. Foram entrevistadas mais de 400 pessoas em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife ao longo de quatro meses. Desse total, 25 pessoas foram acompanhadas durante um dia inteiro para que pudéssemos conhecer sua vida e suas relações.

• • •

Diversificação é o caminho para a evolução da indústria de fundos

Para  o segmento de fundos evoluir, o caminho é a diversificação, segundo Flávio Souza,  vice-presidente da ANBIMA. Atualmente, 65% das aplicações em fundos estão concentradas em produtos de renda fixa, contra 24% desta mesma categoria na média da indústria mundial. “É a síndrome do extrato no final do mês. O cliente vê que ganhou 1% e fica feliz”, disse ele sobre a preferência pela renda fixa.

• • •